Imperialista | Top 10- Filmes do MCU

Os 10 melhores filmes desse 11 anos de Universo Cinematográfico Marvel

10/05/2019 às 02:37hs

Com o fim da Saga do Infinito nos cinemas, assim como o fim da Fase 3 do Universo Cinematográfico Marvel (MCU), nos resta despedir desses maravilhosos personagens e seus filmes.

A fim de aproveitar o momento, vamos recordar as grandes obras desta grande franquia de cinema e ode ao universo das HQs.

10- Thor: Ragnarök (Thor: Ragnarök, 2017)- Dirigido por Taika Waititi

Revingadores (Revengers) reunidos em THor: Ragnarok

Thor é um personagem que, certamente, precisou ser redefinido nos cinemas. Muito de sua mitologia envolve elementos de fantasia, que destoam do que havia sido apresentado até então em outros filmes do MCU. Isso foi resolvido facilmente no subestimado primeiro longa da trilogia, surpreendentemente, com uma simples frase: “Meus ancestrais chamavam de magia, você chama de ciência. Eu venho de um lugar onde é tudo a mesma coisa”.

Ainda que, o universo do Thor já estabelecido, outro grande problema era o personagem em si. Embora fosse poderoso e tivesse um grande potencial para cenas de ação, sua personalidade bruta parecia não funcionar em seus dois filmes solos, que eram sempre carregados pelo anti-herói Loki.

A solução veio no fechamento da trilogia de Thor. Que, eventualmente, leva o sugestivo nome de Ragnarok, o fim do mundo na mitologia nórdica. Contudo, diferente do que o próprio título sugere, Thor 3 passa longe de ser um épico filme apocalíptico aos moldes de O Senhor dos Anéis. E acabou sendo o filme mais engraçado de todo o MCU.

” Are you Thor, the god of hammers? “

A trama gira em torno de Thor voltando para Asgard para derrotar a ameaça de Hela (Cate Blanchett), sua irmã esquecida que, inesperadamente, voltou de seu exílio para assumir o reino. Ao mesmo tempo que deve reunir uma nova equipe no planeta Saskar.

O filme assume de vez o lado comediante de Thor e aproveita todo o potencial para humor do astro Chris Hemsworth, coloca Loki como anti-herói, constrói uma das melhores vilãs do MCU, apresenta novos e divertidos personagens (Valquiria, Grão-Mestre, Korg), ainda que, se livrando de personagens que ninguém gostava (Três Guerreiros, Jane Foster).

A cereja do bolo é a Hulk, que está muito engraçado, apesar de que protagoniza grandes momentos de ação.

Momentos Épicos:

  • Thor vs Surtur
  • Thor vs Hulk
  • A batalha na ponte
  • A despedida de Odin   

9- Homem-Aranha: De Volta ao Lar (Spiderman: Homecoming, 2017)- Dirigido por Jon Watts

Homem-Aranha e Homem de Ferro unidos em Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Um dos maiores méritos do MCU, certamente, foi se consolidar como a maior franquia da atualidade. Mesmo que use apenas super-heróis Marvel pouco conhecidos do público em geral. Até antes da consolidação do MCU, os maiores heróis da Marvel eram os X-mens, como um todo, e o Homem-Aranha, considerado a alma e o ícone da editora. Entretanto, ambos X-men e Homem-Aranha pertenciam a outros estúdios, o que impossibilitava suas aparições em filmes do MCU.

Ao passo que um acordo milionário com a Sony, que mantém os direitos do Homem-Aranha no cinema, foi elaborado, a Marvel conseguiu enfim a autorização para usar o personagem em seus filmes. Finalmente tivemos a aparição do cabeça de teia no filme Capitão América: Guerra Civil (2016).

Personagem devidamente apresentado, como resultado, no ano seguinte ele ganhou seu filme solo, agora totalmente integrado ao Universo Marvel.

“Oh I was just, um… looking at… porn”

Homem-Aranha de Volta ao Lar trás o jovem ator britânico Tom Holland como Peter Parker, que agora foi apadrinhado por Tony Stark e realiza as missões pequenas, quase como se fosse um “vingador estagiário”. Em suas pequenas missões, inesperadamente, Peter acaba descobrindo um esquema de comércio ilegal de armas com tecnologia alienígena, tendo Adrian Toomes (Michael Keaton) como chefe do esquema.

As virtudes de De Volta ao Lar, certamente, são inúmeras! Para começo de conversa está o fato deste não ser um filme que envolve a origem do personagem, ou seja, ele não é reapresentado. Aqui, Peter já é o Homem-Aranha, ele já foi picado pela aranha radioativa, o tio Ben já morreu, enfim, tudo já encaminhado para partir para a aventura.

Outro grande acerto está no visual do herói, que agora é interpretado por um ator mais jovem, a fim de nos convence melhor como herói adolescente, que precisa manter o equilíbrio entre ajudar as pessoas e lidar com os problemas do próprio cotidiano.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar estabelece de vez a melhor versão cinematográfica do personagem, possui humor afiado, participação muito boa do Homem de Ferro, momentos emocionantes, uma reviravolta completamente inesperada, um elenco jovem multi-étnico e inesperadamente temos um dos melhores vilões do MCU.

Momentos Épicos:

  • Conhecendo o sogrão
  • O assalto aos caixas eletrônicos
  • Salvando o barco
  • Conhecendo os benefícios do uniforme         
  • Lidando com problemas de locomoção

8- Homem de Ferro (Iron Man, 2008)- Dirigido por Jon Favreau

Homem de Ferro testando a armadura pela primeira vez em Homem de Ferro (2008)

Antes do MCU, os filmes Marvel eram distribuídos em duas grandes franquias, X-men e Homem-Aranha, que, inegavelmente, nos presentearam com alguns filmes controversos, mas também com alguns do melhores e mais importantes títulos do subgênero.

Com efeito do rendimento alto desses filmes no cinema, a Marvel optou por produzir seus próprios filmes, fazendo acordo com os estúdios dos quais venderam os direitos dos personagens anos antes.

Assim surgiu o MCU, como uma aposta da Marvel de ter controle sobre os seus próprios filmes, e tentando assim construir uma franquia com diversos filmes interligados, de tal forma, que aquele seria o maior e mais ambicioso universo cinematográfico já criado.

Desse modo, os dois primeiros heróis que entrariam no projeto seriam o Hulk, que teve seu longa lançado em 13 de junho de 2008, distribuído pela Universal Studios, e Homem de Ferro, que estreou em 30 de abril do mesmo ano, distribuído pela Paramount e, consequente responsável por inaugurar o MCU.

“I’m Iron Man”

Esses dois primeiros filmes do MCU tinham a função de ditar o que viria posteriormente em termos de tom. O Incrível Hulk apostou em algo mais sério e sombrio, ainda que Homem de Ferro tinha um tom mais cômico e colorido. O que acabou se mostrando um diferencial no cinema de super-heróis até aquele momento, garantindo um sucesso considerável de público e absoluto de crítica, tendo seu protagonista Tony Stark (Robert Downey Jr.) como um dos personagens mais carismáticos e icônico do cinema recente, e considerado o melhor casting de um super-herói no cinema desde que Hugh Jackman deu vida ao Wolverine em 2000.

Entretanto, mesmo que o sucesso do filme se desse pelo seu carismático protagonista, o longa apresenta muitas outras virtudes. Como um roteiro afiado nas piadas, mas sem deixar o lado dramático e sério de lado. Além de ótimos coadjuvantes (Terrence Howard, Jeff Bridges, Gwyneth Paltrow, Clark Gregg e Jon Favreau). E uma produção técnica muito elaborada. Apostando em inacreditáveis efeitos visuais,  inspirados na tecnologia que um ano antes, havia dado vida ao autobots de Transformers.

O filme tinha muitos acertos, contudo, o que mais chamava a atenção em Homem de Ferro era sua cena pós-crédito, que apresentava pela primeira vez Nicky Fury (Samuel L. Jackson) interessado em discutir, por fim, sobre a iniciativa “Vingadores”. Mal sabia o público da época, mas essa singela cena mudaria a cultura pop para sempre!

Momentos Épicos:

  • A fuga da caverna
  • Teste de voo
  • Voando com os caças
  • Nicky Fury e a Iniciativa Vingadores
  • A coletiva de imprensa (I’m Iron Man)

7- Capitão America: O Soldado Invernal (Captain America: Winter Soldier, 2014)- Dirigido por Anthony & Joe Russo

O vilão Soldado Invernal em ação em Capitão América: O SOldado Invernal (2014)

Em virtude do sucesso estrondoso de Vingadores em 2012, como resultado, o MCU iniciou sua fase 2 com duas sequências: Homem de Ferro 3 e Thor: O Mundo Sombrio. Contudo, mesmo com o desempenhos astronômico de Homem de Ferro 3 nas bilheterias, ambos os filmes são considerados pontos baixos da franquia. Isso fez daquele 2013 um ano um tanto amargo e desacreditado para o MCU.

Entretanto, o respeito e a confiança do público voltaria no ano seguinte. Graças a estreia da sequência de Capitão América intitulada “O Soldado Invernal”.

“Hail Hydra”

O desafio dessa sequência seria trazer uma aventura do herói da Segunda Guerra, ainda que ambientado em um mundo moderno. Onde os tradicionais valores americanos se encontram com a corrupção, com tirania de governos e com a espionagem e infiltração.

Até aquele momento, O Soldado Invernal era o filme mais sério e maduro do MCU, e, consequentemente, também o mais sombrio desde O Incrível Hulk. Isso o colocou em um patamar de qualidade acima da maioria dos longas da franquia até então. Entretanto, diferente de O Incrível Hulk, Capitão 2 tinha uma vantagem: A direção impecável de Joe e Anthony Russo! Dois achados do MCU que, surpreendentemente, seriam responsáveis pelos filmes mais grandiosos e importantes da franquia.

De fato, em Soldado Invernal, o público é presenteado com cenas de ação completamente diferente do que era visto até então, com uma edição primorosa e uma câmera tremida bem realizada, além de uma trama de espionagem e a presença de outros personagens, como Nick Fury, Viúva Negra, Falcão e o impiedoso Soldado Invernal, que certamente entra para lista de melhores vilões da Marvel, por mais que sua verdadeira natureza mostre que os verdadeiros vilões podem estar onde menos se imagina.

Momentos Épicos:

  • A luta no elevador
  • Fury fugindo dos agentes infiltrados
  • A luta de facas
  • O resgate no navio
  • Steve reencontrado Peggy

6- Guardiões da Galáxia (Guardians of the Galaxy, 2014)- Dirigido por James Gunn

Equipe principal fugindo da prisão em Guardiões da Galáxia

Entre muitos méritos do MCU, destaca-se o fato do Marvel Studios ter alcançado um enorme sucesso, mesmo que, com seus personagens de segundo escalão, já que suas maiores estrelas (X-Men & Homem-Aranha) pertenciam a outros estúdios de cinemas.

Mesmo que grandes ícones da cultura pop da atualidade, personagens como Homem de Ferro, Viúva Negra, Doutor Estranho, Homem-Formiga e Pantera Negra eram desconhecidos do grande público, mas hoje, graças a apostas da Marvel, todos esses personagens ganharam o público e fizeram muito sucesso e fãs no cinema.

“WE are Groot”

Certamente, uma das apostas mais acertadas foi Guardiões da Galáxia, filme que veio com a finalidade de expandir o universo cósmico da Marvel nos cinemas, trazendo como protagonista um grupo de anti-heróis de diferentes raças alienígenas.

A aposta não poderia ter dado mais certo e a equipe, composta por Senhor das Estrelas (Chris Pratt), Gamora (Zoe Saldana), Drax (Dave Bautista), Groot (Vin Diesel) e Rocket Racoon (Bradley Cooper), inesperadamente, se tornaram grandes queridinhos do público, quase que tão queridos quanto os Vingadores.

Entretanto, além dos personagens principais, Guardiões da Galáxia apresentou devidamente Thanos (Josh Brolin) e os conceitos das Jóias do Infinito, tendo a jóia do poder (orb), como mcguffin principal da trama.    

Outro elemento responsável pelo sucesso de Guardiões da Galáxia, certamente, foi sua incomparável trilha sonora, que redefiniu os conceitos de como se utilizar a trilha sonora em um filme. Como resultado, o conceito foi adotado por outras produções, como Esquadrão Suicida (Suicide Squad, 2016) e Kong: A Ilha da Caveira (Kong: Skull Island, 2017).    

Momentos Épicos:

  • A fuga da prisão
  • A batalha na nave
  • Senhor das Estrelas roubando o orb
  • A morte de Groot
  • O conflito pelo orb

5- Capitão América: Guerra Civil (Captain America: Civil War, 2016)- Dirigido por Anthony & Joe Russo

Team Cap na batalha do aeroporto em Capitão América: Guerra Civil

Após uma Fase 2 de altos e baixos, a Fase 3 do MCU tinha a obrigação de alcançar outro nível, eventualmente, levando os filme a outro patamar.

O filme escolhido para inaugurar essa essa nova fase foi a sequência de Capitão América: O Soldado Invernal (Captain America: Winter Soldier, 2014), mantendo os seus diretores no comando. Contudo, a Marvel tinha uma missão um pouco mais complexa para Capitão América 3: esse era o filme que precisava ter um peso maior que os demais.

A ideia para adaptar Guerra Civil para os cinemas, surgiu quando a Warner anunciou que faria Batman vs Superman: A Origem da Justiça (Batman v Superman: Dawn of Justice, 2016). Foi justamente o anúncio do filme da DC que serviu para o que os produtores da Marvel decidissem seguir a tendência e colocar seus maiores heróis para se enfrentar.

Foi dessa forma que nasceu a versão cinematográfico de uma das maiores sagas das HQs, a Guerra Civil, que traria os maiores heróis do MCU, lutando uns contra os outros separados em dois times: Capitão América, que luta pela independência dos super heróis, ao mesmo tempo em que tenta inocentar seu amigo fugitivo Bucky (Sebastian Stan); E Homem de Ferro, que prega a ideia de que os super-heróis necessitam de supervisão.

O embate entre ideais vai muito além de uma grande batalha, pois os argumentos de ambos os lados são convincentes, colocando o pública em dúvida sobre quem está realmente certo.

“He’s My Friend”
“So Was I”

A ideia de se adaptar Guerra Civil, pelo ponto de vista do Capitão América, foi uma das melhores sacadas do MCU, mesmo que correndo um risco muito grande da rejeição dos fãs da saga nos quadrinhos, onde a “Guerra” acontece em proporções muito maiores do que era possível de se fazer no cinema.

Antes de mais nada, separar os Vingadores em dois times foi uma excelente estratégia, dentro e fora do filme, de modo que foi construído uma febre nas mídias sociais entre os fãs dos filmes, que foram em massa contemplar a obra na torcida pelos seus times favoritos, quase como um evento esportivo.

Certamente que, dentro do longa, o conflito entre os ideais culminou em duas espetaculares cenas de ação: o embate já esperado entre Capitão América e Homem de Ferro, e na espetacular batalha do aeroporto, que coloca 12 super heróis, separados em dois times de seis integrantes. Entrando em um conflito como nunca visto antes na história do cinema. Uma batalha grandiosa, mesmo que em uma escala pequena, onde é possível de se observar tudo o que acontece na ação. Sem caos visual e sem exageros típicos de grandes blockbusters.

Conforme o final do longa, temos a certeza de Capitão América: Guerra Civil, é mais do que uma sequencia, é praticamente uma terceira aventura dos Vingadores. De modo que, culminou na separação dos heróis e em um dos melhores e mais densos filmes do MCU.

Momentos Épicos:

  • A batalha do aeroporto
  • Tony vs Steve e Bucky
  • A perseguição ao Soldado Invernal
  • Tony conhecendo Peter Parker
  • A missão em Lagos      

4- Os Vingadores (The Avengers, 2012)- Dirigido por Joss Whedon

Heróis unidos durante a batalha de New York em Os Vingadores (2012)

Com a Marvel administrando seus próprios filmes, a ideia de universo compartilhado pode enfim ser colocada em prática. Mas de uma forma nunca antes vista no cinema.

Um universo compartilhado, contudo, não é o mesmo sem um crossover, que na realidade, acaba sendo o real motivo para se manter histórias diferentes em conexão.

Conforme havia sido anunciado no primeiro longa do MCU, Homem de Ferro, a iniciativa Vingadores seria o grande encontro entre todos aqueles heróis até então conhecidos no cinema por seus filmes solo, revelando aquele que seria o maior crossover da história do cinema, mesmo que seja contestado de que, na realidade, Vingadores é o filme principal, enquanto que os filmes solo, são apenas o derivados de filme principal.

“That’s my secret, Captain: I’m always angry”

Definições técnicas a parte, Vingadores nos apresenta a sequência de acontecimentos previamente estabelecidos em filmes anteriores, assim como a vinda de Loki para Terra e a ressurreição do Capitão América, mas o faz sem exigir que o público tenha assistido os filmes anteriores, pois foram usado apenas para apresentar a origem dos personagens, enquanto que Vingadores trata de desenvolvê-los individualmente e coletivamente com os demais membros da equipe.

O resultado de toda esse planejamento, eventualmente, é um filme grandioso, divertido, ambicioso e muito empolgante, que mesmo demorando um pouco para engatar, nos presenteia com um terceiro ato irretocável, onde vemos a mais épica batalha nunca antes imaginada em um filme de super-herói antes!

As coisas não podiam ter sido melhores para Marvel, já que Vingadores se tornou a maior bilheteria daquele mesmo ano, e também a maior bilheteria da história do cinema de heróis, desbancando até mesmo Batman: O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight, 2008) e colocando aqueles personagens de vez no gosto popular, tornando os Vingadores o novo fenômeno cinematográfico.    

Momentos Épicos:

  • A Batalha de New York
  • Hulk destruindo a nave da S.H.I.E.L.D.
  • Thor vs Homem de Ferro vs Capitão América
  • Homem de Ferro salvando a cidade
  • Hulk vs Thor

3- Vingadores: Guerra Infinita (Avengers: Infinity War, 2018)- Dirigido por Anthony & Joe Russo

Thanos durante a batalha de Titan em Vingadores: Guerra Infinita

O ano de 2018 seria um importante ano para o MCU, pois além de completar 10 anos, a franquia ganharia a terceira aventura dos Vingadores, ao passo que, aquele que seria o filme que finalmente colocaria Thanos (Josh Brolin) na tela do cinema. O icônico vilão foi sugerido pela primeira em em 2012, no primeiro Vingadores, e foi fazendo singelas aparições desde então.

A espera não decepcionou e Thanos surgiu com todo o seu esplendor e magnitude, sendo antagonista e protagonista do filme, eventualmente aparecendo em cena muito mais do que a maioria dos heróis.

A trama acompanha o vilão tentando realizar seu objetivo de equilibrar o universo, eliminando metade da população com o uso das Jóias do Infinito, que foram igualmente sendo apresentadas ao longo da franquia.

Os heróis, ainda que divididos após a Guerra Civil, agora precisam se virar como podem, seja para enfrentar Thanos de frente, seja para proteger as jóias ou seja para enfrentar os filhos e o exército de Thanos, resultando em batalhas épicas e encontros nunca antes imaginados.

“We’re in the endgame now”

Com um vilão tão poderoso, eventualmente, foi necessário unir todos os heróis da franquia em um único filme, unindo os Vingadores, aos Guardiões da Galáxia, ao Doutor Estranho e ao Pantera Negra.

Guerra Infinita merece créditos não apenas por unir os heróis em um único filme e não apenas por apresentar o maior vilão da franquia, mas Guerra Infinita conseguiu ser o filme de super-herói mais apreensivo já feito, ao modo que, acaba fazendo com que o público realmente temesse por todos os personagens e por seus heróis favoritos.

A conclusão final consegue uma proeza inacreditável, deixando uma brecha para uma continuação, mas sem qualquer empolgação do públicp, já que o final é terrivelmente assustador, fúnebre, bizarro e sombrio, gerando teorias entre os fãs e um hype colossal para o próximo longa.

Momentos Épicos:

  • A batalha de Wakanda
  • A batalha em Titan
  • O estalar de dedos
  • O sacrifício pela jóia da alma
  • Thanos em Asgard

2- Pantera Negra (Black Panther, 2018)- Dirigido por Ryan Coogler

Erik Killmonger dialogando com T'Challa em Pantera Negra (2018)

Na fase 1, a Marvel seguiu uma fórmula inteligente de apresentar seus personagens individualmente, antes de colocá-los em ação ao lado de outros heróis, no entanto. Contudo, no início da Fase 3, no longa Capitão América: Guerra Civil (Captain America: Civil War, 2016), decidiu mudar um pouquinho as coisas, e nos apresentou dois novos heróis antes mesmo de seus filmes solo: O Homem-Aranha, que ganhou seu filme solo em 2017; e o Pantera Negra, que certamente voltaria a dar as caras no cinema apenas em 2018.

O que mais chamou a atenção em Pantera Negra, ainda nas fases de divulgação, inesperadamente, era o seu elenco estrelar. Pois, além do protagonista Chadwick Boseman, o longa conta com Lupita Nyong’o, Danai Gurira, Letitia Wright, Daniel Kaluuya, Martin Freeman, Andy Serkis, Angela Bassett, Forest Whitaker e Winston Duke.

“Burry me in the Ocean…”

Contudo, o maior destaque do elenco é Michael B. Jordan, que interpreta o vilão Eric Killmonger, eventualmente, o personagem chave do filme e um dos melhores vilões do MCU, sendo responsável por um importante discurso político e social, poucas vezes visto antes no subgênero.

Outros grandes méritos do longa está em sua construção de mundo, visto que, acaba remetendo a uma ambientação afro-futurista, algo inédito no cinemas, que além de exalar beleza, também é um importante instrumento de representatividade e uma ode à cultura e história da África.

Sem dúvida, a trilha sonora também se destaca, o que é raro em filmes da franquia, apresentando músicas diferentes de tudo o que é habitual no cinema de quadrinhos, remetendo também a imponência da cultura africana, com tons de aventura e grandiosidade.

Todos esses elementos colocam Pantera Negra em um patamar acima da maioria dos filmes do MCU, ao passo que o longa a venceu três Oscars: Melhor Figurino, Melhor Direção de Arte e Melhor Trilha Sonora; além disso, recebeu uma indicação em Melhor FIlme, feito inédito dentro do subgênero.

Momentos Épicos:

  • A batalha de Wakanda
  • O por do Sol
  • A batalha no cassino
  • A perseguição na Coréia
  • Abrindo Wakanda para o mundo

1- Vingadores: Ultimato (Avengers: Endgame, 2019)- Dirigido por Anthony & Joe Russo

Os Vingadores reúnidos em foto de Vingadores Ultimato

Guerra Infinita tinha tudo o que era necessário para fechamento digno e épico dos Vingadores no cinema, de fato, mas tinha um detalhe: a conclusão. A derrota dos heróis ao enfrentar Thanos mostrou que nem tudo são flores no MCU, passando a responsabilidade de encerrar a Saga do Infinito para o próximo filme dos Vingadores.

Dessa forma, Vingadores: Ultimato foi lançado, não apenas com a expectativa de ser o fim de uma franquia, mas como também carregando a responsabilidade e o hype deixado com o sucesso de Guerra Infinita.

O longa começa logo após o poderoso estalar de dedos de Thanos, mostrando como cada personagem reage à derrota, ainda que a esperança ainda exista.

Cinco anos se passam, mas os Vingadores ainda tentam lidar com as consequências do estalar de dedos e com o luto das perdas, até que um engenhoso e complexo plano é elaborado, prometendo uma esperança de reverter as ações do Titã Louco e colocando os heróis em uma emocionante e divertida aventura de ficção científica e viagem no tempo.

“Avengers… Assemble”

Desde o início da projeção, fica evidente que Ultimato é uma despedida dos antigos heróis, os seis originais (Homem de Ferro, Capitão-América, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro). Essa sensação se reflete na forma como os personagens são destacados, sobretudo Steve e Tony, que voltam a dividir o protagonismo, que havia sido assumido por Thanos no filme anterior.

O longa também emociona, colocando os heróis em situações e cenários recorrentes de outras produções da saga, eventualmente proporcionando uma caça aos easter-eggs e também encontros com personagens queridos do passado.

Como se já não fosse o suficiente, em seu terceiro ato, Ultimato surpreende o público com a mais empolgante batalha final desde O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (The Lord of the Rings: The Return of the King, 2003), que se mostra também uma explosão de referências e momentos emocionante e empolgantes, capazes de transformar até mesmo os fãs mais maduros, em crianças de seis anos.

Ultimato é a conclusão e o resultado de 11 anos do planejamento de uma produção séria, comprometida com os fãs e que ama o que faz, proporcionando um verdadeiro presente para os fãs de cinema, para os fãs de quadrinhos e para os fãs de super-heróis. Certamente, Ultimato é o reflexo de toda uma cultura pop, e uma ode à imaginação de toda uma geração.

Momentos Épicos:

  • A guerra infinita (“Avengers assemble”)
  • Tony, Steve e Thor vs Thanos
  • O funeral
  • Conquistando a Joia da Alma
  • De volta a batalha de New York
  • A dança

Veja a nossa analise de Vingadores Ultimato: imperio42.com.br/cinema/a-celebracao-dos-vingadores/

Se acaso não tenha assistido ao novo filme, saiba que Vingadores: Ultimato ainda está em cartaz! Confira o trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=4QRdB4RAQMs&t=2s

Menções Honrosas:

  • Homem-Formiga (Ant-man, 2015)- Dirigido por Peyton Reed
  • Vingadores: Era de Ultron (Avengers: Age of Ultron, 2015)- Dirigido por Joss Whedon
  • Capitã Marvel (Captain Marvel, 2019)- Dirigido por Anna Boden & Ryan Fleck
  • Capitão América: O Primeiro Vingador (Captain America: The First Avenger, 2011)- Dirigido por Joe Johnston
  • Doutor Estranho (Doctor Stranger, 2016)- Dirigido por Scott Derrickson

Conteúdo Relacionado